Destaque da Semana

quarta-feira, 26 de julho de 2017

Bay Area Rapid Transport - BART

O Camisas & Manias mostra um pouco da história e também do que é o:


A história do BART começou em 1946.

E não foi por um ato ou iniciativa governamental. Ocorreu na verdade, em reuniões e encontros informais de líderes, empresários e pequenas autarquias de ambos os lados da baía de São Francisco.


Diante de uma forte migração pós-guerra para a área e o consequente “boom” do automóvel, essas pessoas discutiam maneiras para aliviar o forte fluxo de pessoas e o congestionamento recorrente que tornavam o ir e vir pelas pontes que abrangiam a Baía um verdadeiro “tormento”.


Em 1947, um conselho de revisão conjunta do Exército e da Marinha concluiu que seria necessário outro elo de conexão entre São Francisco e Oakland nos próximos anos para evitar congestionamentos intoleráveis nas pontes.


E qual seria esta conexão? Qual seria esta ligação?

Um tubo submarino dedicado exclusivamente aos trens elétricos de alta velocidade.


Desde 1911, projetistas visionários apresentavam periodicamente este conceito. Sempre com negativas.  

Mas agora, a pressão para uma solução no trânsito aumentou com a reivindicação da população, e essa premissa deixou de ser "futurística" ou "faraônica". Tornou-se muito real.


Em 1951, o Legislativo do Estado criou a Comissão de Trânsito Rápido da Área da Baía de San Francisco, composta por representantes de cada um dos nove municípios ao redor da Baía. O encargo desta comissão foi estudar as necessidades reais de um  transporte de “longa distância” entre as cidades na área da baía com um contexto sério em eventuais problemas ambientais e, em seguida, recomendar a melhor solução.

Vídeo sobre o BART (Parte 1) - Crédito: WhistleStopUSA

O resultado foi um plano mestre com diretrizes para trazer um planejamento coordenado na área da baía e que foi adotada uma década depois pela Associação dos Governos da Área da Baía (ABAG).

Assim, timidamente, o conceito BART nasceu.


A solução de menor custo da comissão era em recomendar a formação de um modal de trânsito rápido coletivo por cinco condados, cujo projeto seria construir e operar uma rede ferroviária rápida de alta velocidade que ligasse os principais centros comerciais com os centros suburbanos.

Vídeo sobre o BART (Parte 2) - Crédito: WhistleStopUSA

A Comissão afirmou que "se a área da baía deve ser preservada como um bom lugar para viver e trabalhar, um sistema regional de trânsito rápido coletivo é essencial para evitar a dependência total de automóveis e rodovias".



Vale ressaltar, então, que também nasceu o conceito ambiental subjacente ao BART.


Máquina de bilhetes automática - Set/72

Com um custo total de US$ 996 milhões (incluso o “transbay” – tubos subaquáticos para travessia da baía), seria o maior projeto de obras públicas já realizado no país por uma autarquia local.

Uma das seções do TransBay

A construção do BART começou oficialmente em 19 de junho de 1964, com o presidente Lyndon Johnson presidindo as cerimônias.

Lyndon Johnson em Concord - Na cerimônia de início do projeto (1964)

A pista de testes, completada dez meses depois, foi utilizada para desenvolver e avaliar novos conceitos de design sofisticados para o vagões do BART e o sistema automático de controle de trens.



A construção efetiva começou em Oakland, em janeiro de 1966.


No mês de novembro daquele ano, viu a primeira das 57 seções gigantes de aço e concreto do tubo "transbay" de quase 4 quilômetros, assentadas ao fundo da baía por uma pequena marinha de barcaças e barcos de construção.

Tracejado mostrando o trajeto dos tubos "transbay" na travessia Oakland < > SF


Em julho de 1967, o trabalho começou também na complicada região da Market Street com estações em 80/100 pés abaixo do tráfego pesado do centro da cidade.


Contra a pressão combinada de lama e água da baía, o trabalho exigiu uma das maiores concentrações de operários, trabalhadores e equipamentos de tunelamento na história de uma  construção do tipo.



A construção das estações gigantes de cinco andares abaixo da Market Street e os próprios túneis em si, foram realizados em condições extremamente difíceis, de certa forma impostas pelo grande acúmulo de água e umidade no centro de São Francisco, além de um incrível labirinto de utilitários e equipamentos subterrâneos instalado nos últimos 100 anos.

Canteiro de obras na Market Street (1967)

As escavações do BART na região ocasionaram a descoberta de alguns navios enterrados e outras lembranças históricas, proporcionando um olhar fascinante de volta ao século XIX, em São Francisco, quando o atracamento no Lower Market Street e no Embarcadero ainda era possível e aberto.



O enorme esforço de construção atingiu seu pico em 1969 com uma força contratada de 5.000 trabalhadores no canteiro de obras de São Francisco e em outras frentes de trabalho do sistema.   A folha de pagamento semanal foi de mais de US $ 1 milhão.


A conclusão do trecho subterrâneo no extremo oeste da estação da Montgomery Street foi finalizado em 27 de janeiro de 1971. Isso marcou a conclusão do trabalho de tunelamento no enorme e complicado trecho da Market Street de dois níveis e de seis anos de serviço subterrâneo.



O contrato para a produção e entrega dos revolucionários veículos (vagões) de trânsito elétrico da BART foi assinado com a Rohr Industries, Inc., de Chula Vista, Califórnia, em julho de 1969.


O contrato inicial exigiu a entrega de 250 carros, sendo os primeiros 10 veículos a serem atendidos como protótipos de teste.

Enquanto isso, um capítulo único foi escrito na história da engenharia civil, com a conclusão da estrutura do tubo "transbay" em agosto de 1969.


Construído em 57 seções e sua alocação no piso da baía em profundidade de 135 pés abaixo da superfície, levaram seis anos de projetos e estudos sísmicos e menos de três anos para as obras.


Antes de fechar aos visitantes para a instalação de trilhos e eletrificação, milhares de pessoas haviam caminhado ou visitado de bicicleta através do tubo.  Hábito muito comum entre os operários nas trocas de turnos.


Recebeu uma dúzia de grandes prêmios de engenharia e rapidamente se tornou um projeto famoso, tecendo a curiosidade em todo o mundo. Para os jovens, especialmente, o tubo "transbay" é a essência do BART.



À medida que as obras avançavam, os engenheiros de construção, por muito tempo responsáveis, começaram a abrir caminho para uma ampla gama de engenheiros e técnicos eletrônicos, especialistas em informática e outros especialistas. Seu trabalho era instalar e testar todo sistema automático de controle de trens, além de três unidades de manutenção e gares de trens em Hayward, Richmond e Concord.

O primeiro protótipo de carro foi entregue em agosto de 1970.


No início de 1971, os protótipos de dez carros estavam sendo operados na linha Fremont em um programa de 24 horas para aprovação definitiva, antes de entrar em produção em grande escala.


Enquanto isso, na sua fábrica de San Jose, a IBM estava preparando o primeiro grupo de protótipo de máquinas de cobrança de tarifas automáticas, que demonstrou aos diretores distritais em outubro.


No período 1971-72 houve a eliminação progressiva dos principais trabalhos de construção e o início da transição de uma organização orientada para a consolidação de uma BART operacional: Novas áreas de ênfase incluíram marketing, treinamento de pessoal, planejamento de serviço de ônibus de alimentação para estações e preparativos abrangentes para o início de serviço operacional.


Funcionários BART na década de 70

Foi concluído o estudo de uma extensão entre a Estação Daly City e o Aeroporto Internacional de São Francisco e continuou-se outro estudo sobre uma extensão do acesso do ônibus ao Aeroporto Internacional de Oakland proveniente da estação Coliseum.


Também estudos de extensão para o noroeste de São Francisco, a área de Pittsburg-Antioch e a área de Livermore-Pleasanton.



O primeiro segmento do sistema a ser aberto seria o de 28 quilômetros entre as estações de Fremont e MacArthur.


Em 11 de setembro de 1972, tem-se início o primeiro dia do serviço operacional tarifado. 


Dias depois, em 27 de setembro, o presidente Nixon visita todas instalações do sistema:


Mapa Original do Sistema BART

BART Atualmente ...

Quilometragem e Extensão

O sistema possui, atualmente, 112 quilômetros de extensão total.



- The S-Line de Warm Springs/South Fremont para Fremont = 8,7 km;



- Trecho entre Fremont e Lake Merritt = 23,8 km;



- A via elevada do BART para o Oakland International Airport (OAK) = 3,2 km;

- As Linhas M, W e Y de Oakland West a Millbrae = 27 km;


- A Linha R de Richmond a MacArthur = 10 km;


- A linha C de Pittsburg/Bay Point para Rockridge = 29,3 km;

- A L-line entre Dublin/Pleasanton e Bay Fair = 10 km;


Em todo o sistema, existem aproximadamente 32 quilômetros de trilhos aéreos; 52 quilômetros de pista em superfície e cerca de 28 quilômetros de pista subterrânea.


Abaixo, o C&M mostra a extensão BART entre a estação Coliseum e o Aeroporto Internacional de Oakland (OAK), inaugurado em 2014:








Estações

O BART possui um TOTAL de 46 estações.


Estação Embarcadero

Destas, compreendem 17 estações de superfície, 14 elevadas e 15 estações subterrâneas.

Estação Coliseum

Estação Coliseum (Externa)

Estação MacArthur

4 (quatro) destas estações são uma combinação/integração de estações do sistema BART e sistema MUNI (que abordaremos num post futuro...) no centro de São Francisco e uma estação é uma combinação/integração de sistema BART e sistema Caltrain em Millbrae.


Corredor de integração em uma das estações BART/MUNI em S. Francisco

Trens

O poder da propulsão do terceiro trilho tem a eletricidade DC de 1000 volts. Um motor de 150 hp por eixo, quatro motores por carro.


Todos os carros recebem 1000 volts de energia DC do terceiro trilho através de "sapatos coletores". Cada carro tem quatro sapatos - dois de cada lado, perto das rodas dianteira e traseira. O sapato do coletor sobe do lado do carro e desliza ao longo do terceiro trilho. 

Henry Kolesar - Engenheiro Chefe do BART mostra partes inferiores de vagões

Uma vez que os quatro sapatos estão conectados eletricamente, se um sapato estiver tocando o terceiro trilho, então os outros três sapatos também são alimentados.



Corpo de alumínio, carpetes, ar condicionado, janelas tingidas. Carro - 70' de comprimento (modelo B2), 75' de comprimento com cabina no modelo A2. Em ambos: 10'6 de altura, 10'6 de largura, espaço livre 6'9 ".


A menor composição do sistema monta em 03 carros de comprimento. A maior, conta com 10 carros de extensão.



Bitola ... 5'6 "de largura em comparação com 4'8.5" para o padrão.

O BART possui 669 veículos no total, compostos por:

59  modelos A2
389 carros B2
150 carros C1
80 modelos C2 na frota.

Carros BART - Modelos A2 e B2

Carros BART - Modelos C1 e C2

Capacidades: 72 pax em cada carro A2 e B2 e 64 pax em C1 e C2.

Velocidade: 80 mph máximo, com média de 35 mph, incluindo paradas nas estações por 20 segundos/média.

Centro de Controle de Operações (OCC)

O atual Centro de Controle de Operações (OCC) substituiu a antiga "sala de controle central", que fez história quando o sistema abriu pela primeira vez em 1972, e com o qual foi considerado o maior painel de exibição em estilo monitor desse tipo no país.


O OCC funciona como o centro nervoso do sistema BART, com controle e supervisão de operações de frota e controle remoto de sistemas de eletrificação, ventilação e resposta de emergência à ocorrências diversas. 

O Centro Operacional (OCC) também coordena eventuais assistências de emergência

Equipamentos de estações

Cerca de 300 máquinas de venda automática de bilhetes, 579 catracas e 168 terminais de auto-atendimento.


As máquinas de venda automática de tickets, localizadas na área livre das estações BART aceitam dinheiro, bem como cartões de débito/crédito. Vendem BART-Blue, bem como bilhetes BART-Plus. Essas máquinas também, eventualmente, podem carregar em cartões inteligentes Translink.

Catracas de acesso

Os terminais de auto-atendimento adicionais estão localizadas nas áreas internas das estações e destinam-se a ser utilizadas por clientes que precisam adicionar valor ao seu bilhete BART para sair do sistema.



Aceitam apenas dinheiro. Em algumas estações, estas máquinas também servem para validação/pagamento de estacionamento.


Além disso, existem mais de 80 máquinas de troca de dinheiro, localizadas em todo o sistema BART.  Essas máquinas quebram US$ 10 e US$ 20 em valores de US$ 5, para uso nas máquinas de venda automática de bilhetes e máquinas de adição.

Bilhetes para BART

Os tickets para acesso ao BART são de plástico, tamanho do cartão de crédito, com valor magneticamente codificado.


Ao passar pelas catracas, automaticamente é deduzido o valor das tarifas de viagem. Estas tarifas são de acordo com o percurso à ser utilizado no sistema. Ou seja, não é uma tarifa única.



Assim como um cartão de crédito regular, o ticket BART magnético sempre deve ser mantido seco e longe de fontes magnéticas e não deve ser dobrado ou amassado.


Clipper


O sistema de pagamento tarifário da Clipper é um projeto regional da Bay Area, gerenciado pela Metropolitan Transportation Commission


A Clipper fornece aos passageiros em trânsito na área da baía um meio de pagamento único para todas as suas viagens de trânsito, em vários modais diferentes - ônibus, trens e metrô - através do uso de tecnologia eletrônica de cartão inteligente.

Intermodal de trânsito em Millbrae

Estacionamentos, ônibus alimentadores e bicicletas no BART

Ao implantar o sistema, seus idealizadores já imaginaram um futuro mais sustentável... Ou quase...


 Estação Lafayete


Estação Bay Fair

A começar pelo entorno das principais estações, e com ênfase nas suburbanas. Há uma grande área de estacionamento, para que o usuário possa sair de casa, deslocar-se num trajeto pequeno até o entorno das estações, estacionar seu veículo e usar o BART para mover-se aos centros comerciais e de trabalho.

Estação West Oakland - Estacionamento e pontos de ônibus Alimentadores

Não quer tirar o carro da sua garagem? Há ainda, ônibus alimentadores que unem as estações à parte dos bairros adjacentes.

Estação West Oakland - Visão externa

Mas ainda assim... Há outra opção?

Sim, há...


Mais e mais usuários do BART estão utilizando bicicletas para se deslocar as estações todos os dias. É uma alternativa saudável e de integração com o meio ambiente.

Racks "inteligentes" externos para bicicletas

Quase todas as estações BART possuem racks externos para bicicletas, a maioria possui racks internos e outras estações BART também possuem áreas fechadas (bicicletários) e com controle de acesso para as bicicletas.

Racks internos nas estações

É possível ainda, levar sua bike no BART. Para isso, algumas regras precisam ser respeitadas. Embora as bicicletas sejam permitidas em todos os trens, em todos os momentos, existem algumas exceções importantes:

As bicicletas nunca são permitidas em carros lotados. Deverá sempre haver espaço suficiente para acomodá-lo confortavelmente e sua bicicleta, sem incomodar os demais usuários.

As bicicletas nunca são permitidas no primeiro carro de qualquer trem.

As bicicletas não são permitidas nos três primeiros carros durante as horas de rush - 7:00 a 9:00 AM e das 4:30 às 6:30 PM.

Não são permitidas bicicletas nas escadas rolantes.

Os ciclistas devem ceder a outros passageiros e não bloquear corredores ou portas. 

O uso dos racks convencionais, racks inteligentes ou bicicletários é totalmente gratuito. A disponibilidade dos racks segue a ordem de chegada dos usuários.

Bicicletário com acesso controlado.

Existe ainda um sistema de rack "inteligente" que exige um rápido registro on-line (aprox. 30 segundos).  Estes racks são ativados (ou seja, trancados e desbloqueados) tocando no seu cartão Clipper registrado. Isso se fez necessário devido ao grande aumento de furtos de bicicletas no entorno de algumas estações. Mas à frente falaremos sobre isso...


Para que as vagas estejam periodicamente disponíveis para os usuários, as bicicletas armazenadas nos racks ou nos bicicletários que evidenciem "sinais de abandono" como ferrugem, poeira, sujeira, pneus vazios e outras particularidades, terão uma aviso de política do BART será colocado por um prazo de 72 horas na bicicleta. Caso não haja retorno, ou a retirada da bicicleta, a mesma é confiscada. Fica ainda armazenada no setor de "achados e perdidos" por 90 dias. Quando então são destinadas à venda ou doação. 

Crédito: Luftschlange

BART Police ( BARTPD )
Departamento de Polícia de Trânsito Rápido da Área da Baía


É a agência policial de trânsito do sistema ferroviário BART no estado da Califórnia. O departamento possui cerca de trezentos funcionários, incluindo mais de duzentos oficiais.


Seria comparado, a grosso modo, com o Grupamento de Polícia Ferroviária (GPFer) do RJ, aqui no Brasil.

O BARTPD tem a função de manter a ordem e garantir a segurança de usuários de funcionários do sistema e no seu entorno.


Em 1969, três anos antes de o BART iniciar seu serviço operacional, o conselho de administração do distrito de trânsito recomendou que a polícia local e os departamentos de xerife patrulhassem as estações, os trens, os acessos e outras propriedades pertencentes ao BART que estavam dentro de suas respectivas jurisdições.

Os chefes da polícia e os xerifes, prevendo que a proposta do BART criaria disputas jurisdicionais e níveis inconsistentes de serviço policial, rejeitaram a proposta do conselho.



Como resultado, a legislação foi aprovada para formar uma agência autônoma de aplicação da lei, o Departamento de Polícia BART.

Quando o terrorismo começou a ser tratado como uma ameaça mais ativa após os ataques de 11 de setembro, o BART aumentou sua ênfase na proteção de sua infraestrutura, funcionários e usuários.


O BARTPD organiza exercícios e participa de grupos de trabalho antiterroristas. A agência tem um oficial designado a tempo inteiro para a Força-Tarefa Conjunta do Terrorismo do FBI. 


Os cães policiais da BART são certificados na detecção de explosivos.

É sabido que estamos passando por profundas mudanças étnicas, sociais e de convívio. 

Não só nos Estados Unidos, mas no mundo inteiro. Venezuela, Brasil e outros países estão com uma tênue ligação comprometida entre parcelas da população e forças de segurança. Isso é um fato.



Sempre citei como é difícil trabalhar com grande público. Lidar e arbitrar com opiniões variadas.

Obviamente, com a BARTPD não seria diferente. 

Em 2011 e 2012, o departamento foi submetido a um escrutínio nacional devido a vários agentes envolvidos em mortes dos clientes do sistema ferroviário. Mas isso também será citado à seguir, quando falaremos dos problemas e desafios do sistema.



Entretanto, é passível e necessário mostrar que os policiais que ali estão exercendo seu ofício também são humanos e pais de família.

O BART PD Explorer Post 413 é um programa de treinamento para homens e mulheres com idades compreendidas entre os 14 e os 20 anos.  É uma organização voluntária que ajuda os jovens das comunidades adjacentes ao BART a serem treinados por agentes da polícia em aspectos de aplicação da lei, liderança e serviço comunitário.


Os "exploradores" desempenharão uma ampla variedade de tarefas não operacionais em ação de campo,  para ajudar o Departamento de Polícia do BART.  O envolvimento neste programa é ótimo para a listagem em currículos e aplicações da faculdade. Os participantes também podem receber crédito para escolas que exigem horas de serviço comunitário para graduação. Entretanto, por força do ofício, e para salvaguarda pessoal e de outros, possuem equipamentos de defesa não-letais, como "teasers".

O departamento de polícia do BART atua também em ações sociais e junto à ONGs e algumas comunidades:

Red Cross América

Sunshine House




Todos os anos, brinquedos e outros fundos, como mantimentos e roupas, materiais escolares, são doados pelo departamento para ajudar as crianças de vários orfanatos e ONG's.  Sempre algumas crianças são levadas para escolher brinquedos para a temporada de férias com os policiais BART locais.

Em janeiro de 2014, o BARTPD - após 42 anos de serviço -  perdeu um oficial em serviço. 

Sargento Tom Smith, durante uma ação onde um disparo acidental amigo penetrou no colete e o atingiu.

Sgto. Tom Smith

Ainda foi socorrido e levado ao hospital, mas infelizmente vei à falecer.

BART - PROBLEMAS E DESAFIOS

Manter um serviço operacional e sem problemas é praticamente impossível numa megalópole como São Francisco e seus arredores.


Evidentemente, problemas vão ocorrer. E os desafios para atender uma demanda populacional (estima-se que a área da baía terá aproximadamente 9 milhões de pessoas até 2040) cada vez mais crescente são evidentes.

- Crescimento dos índices de violência ...

Infelizmente, foi notado um crescimento considerável em furtos, roubos, vandalismo e agressões no sistema BART nos últimos anos. 

Apesar da atuação dos policiais do BART, furtos de bicicletas nos racks externos, com roubos armados à usuários nos arredores das estações, dentro de composições e estações tem aumentado drasticamente.

Banner do BARTPRD sobre utilizar cadeados "U" nas bicicletas.
<<<

Em abril de 2014 um grupo - entre 40 e 60 jovens - embarcaram em um trem BART e realizaram um "arrastão" nos passageiros. 

Eram 21:30 PM e vários passageiros tiveram seus pertences subtraídos e relataram até mesmo agressões.

Alguns dos envolvidos foram presos.

Mas a insegurança aumentou muito entre os usuários, que até então estavam acostumados somente com pequenos furtos em trens lotados na hora do rush, ou em uma ou outra ocorrência nos arredores das estações.


Acima: Banner com índices de roubas de bicicletas nas dez estações com mais roubos no sistema.  Os dados são dos primeiros 7 meses de 2016. Há de salientar que apesar de existirem índices, os valores absolutos estão em queda desde 2014.


Ocorrências envolvendo o BARTPD ...

Aqui, há um apanhado ou resumo das ocorrências mais graves.

Em 2001, um homem mentalmente doente chamado Bruce Edward Seward foi baleado por um policial na estação de Hayward. Segundo o que se apurou, Edward estava dormindo e acordou subitamente, agarrando o bastão do oficial, fazendo que ocorresse um disparo do agente, infelizmente resultando em morte.

Em 2009, o agente Johannes Mehserle numa abordagem de rotina desastrosa e tumultuada acabou fatalmente disparando em Oscar Grant III na estação de Fruitvale.

Várias testemunhas oculares - que estavam no trem parado à plataforma - reuniram provas diretas do tiroteio com câmeras de vídeo celular que foram posteriormente submetidas a redes sociais, como o YouTube, além de outros meios de comunicação.

<<< Oscar Grant III

Nos dias que se seguiram ao incidente, ocorreram manifestações pacíficas e outras violentas. 

Após uma investigação e ao enorme apelo público, Mehserle foi preso e acusado de homicídio no segundo grau, ao qual se declarou inocente.

Ele foi condenado por homicídio involuntário em 2010 e foi condenado a dois anos de prisão.

Ação de abordagem desastrosa que acabou com a morte de Oscar

Mehserle cumpriu sua sentença na prisão do condado de Los Angeles e foi liberado em 2011 condicionalmente. Em resposta ao incidente ocorrido com Grant, o BART criou um comitê de supervisão para monitorar incidentes relacionados à polícia.


Em 2011, um homem mentalmente doente e desabrigado, Charles Blair Hill, avançou para cima de dois policiais com armas brancas na estação Civic Center/UN Plaza em São Francisco.

Como resultado, ele foi baleado pela polícia BART.

Charles Hill

O departamento informou que Hill estava bêbado e armado com duas facas e uma garrafa quebrada. Uma testemunha informou que a vítima estava com uma garrafa de vodka e que ameaçava se jogar nos trilhos.

Quando os agentes o abordaram, ele puxou uma faca, quebrou a garrafa e ameaçou os policiais que deram voz de prisão e o mandaram largar as armas. Houve a recusa e o ataque, seguido dos disparos dos policiais. O chefe da polícia do BART, Kenton Rainey, afirmou que, infelizmente, no caso, a força letal foi a única opção.

Em janeiro de 2016 um rapaz de origem hispânica, chamado Carlos Romero, foi assassinado dentro de um vagão do BART na estação West Oakland.


O suspeito ainda não foi identificado e a BARTPD divulgou um vídeo e recompensa de US$ 10.000 para informações que levem à sua prisão.

Suspeito do assassinato de Romero (Imagem BARTPD)

- Manifestações e Vandalismo ...

O incidente com Charles Hill levou a uma manifestação não-violenta, mas disruptiva, por aproximadamente setenta e cinco manifestantes dentro da estação Centro Cívico e em outras estações próximas.


Alguns manifestantes seguiram ao centro da cidade em pela Mission Street, bloqueando o trânsito e agindo com atos de vandalismo durante a marcha.


E, dentre o cotidiano, muitos atos isolados de vandalismo sem motivo aparente são anotados pelo BART. 

Algumas imagens:







Pessoas com problemas variados, seja mental ou social, pulando nos trilhos - O que prejudica gravemente a operacionalidade dos trens, com atrasos e etc... (note a composição parada, aguardando a solução do problema)...



Com certeza, são e serão inúmeros os desafios ao sistema para agora e para o futuro.

Mas, chega de notícias ruins... Vamos às novidades mais recentes...


BART - NOVIDADES e NOTÍCIAS RECENTES

O BART está em processo de modernização de todos os seus 600 carros mais antigos.


Serão inseridas mais câmeras REAIS de vigilância nos vagões, um processo que será concluído até final de julho 2017.


O BART fez esse movimento após um assassinato em janeiro de 2016, dentro de um dos vagões, que levou à divulgação de que a maioria dos trens apenas traz um "chamariz"  ou câmeras - caixas não funcionais, com luzes vermelhas ou verdes, que não gravam ou transmitem nada.


Renovação de frota

Após 44 anos da abertura do sistema BART, lá em 1972, a frota é o novo alvo da empresa.


O BART deu ao público a oportunidade de ver e conferir os novos carros de trem ao longo de outubro de 2016.


À medida que as composições atuais chegarem ao fim de sua vida útil, o BART está preparando uma nova geração para ocupar seu lugar.


Os carros novos serão mais confortáveis, mais confiáveis ​​e projetados para atender a Área da Baía nos próximos 30 anos e além.

Novos modelos "Bombardier" - Crédito: Bay Area Transit Notícias

Além dos modelos "Bombardier" outro modelo também está no foco do BART:


Extensões do sistema. Nova estação é aberta ao público.

A nova estação Warm Springs do sistema BART foi oficialmente aberta aos passageiros em março de 2017.


Com isso, há a extensão do serviço BART a South Fremont.

"Isso nos aproxima um pouco do centro de trabalho da Área da Baía", disse o membro do conselho do BART, Robert Raburn, no evento de abertura.


A estação Warm Springs possui mais de 2.000 pontos de estacionamento, incluindo 42 estações de energia solar para carregar veículos elétricos.

Vagas com recargas para veículos elétricos

Da plataforma, você pode ver o prédio gigante que aloja a usina elétrica de Tesla


A cidade prevê novas 4.000 unidades habitacionais na área de Warm Springs e vê futuros empregadores adicionando mais 20 mil novos empregos perto da estação.

A cerimônia com a participação de uma multidão que surgiu no meio do clima chuvoso e agitado para admirar o design da estação - incluindo uma rotunda de entrada de vidro artístico.


O BART abriu esta frente de extensão para Warm Springs, que fica a 8,7 quilômetros do centro de Fremont, em 2009 e originalmente planejava operar no final de 2014.


Adiado por várias vezes.

A necessidade de substituir o equipamento de energia elétrica em todo o norte até Hayward causou um grande atraso. Mais recentemente, as dificuldades para que o antigo computador de controle de trens da agência se comunicassem com os novos equipamentos de comunicação e dados da extensão adiaram mais ainda o início do serviço.


O BART admite que a abertura foi bem atrasada, mas diz que o projeto foi completado com mais de US $ 100 milhões no orçamento original de US $ 890 milhões.

Fremont foi o terminal sul dos trens BART da East Bay desde a abertura do sistema em 1972. Agora esse terminal ficam em Warm Springs/South Fremont.

Nos planos estão ainda a extensão desta linha para Milpitas e Santa Clara. Sem previsão de data efetiva de inauguração.



OK... É isso aí... Para fechar este post... Um pequeno resumo:

Passageiros aplaudem o 1º trem a chegar na estação MacArthur - Set/1972

Inauguração da Estação Lake Merrit (Prefeito de SF Joseph Alioto, Vice-Presidente do BART Willian Chester e Vice-Prefeito de Oakland Frank Ogawa) - Set/72

Estação Lake Merrit

Clientes entrando em uma estação na cidade de Oakland - Set/72


Ficaram mais curiosos? Para saber mais acessem:



Grande Abraço do Camisas & Manias!!! Até a Próxima!!!

Nenhum comentário: